quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

[Opinião] “A Amante de Lenine” de Luís Ferreira [Edições Vieira da Silva]


 

Autor: Luís Ferreira
Coleção:  História
ISBN:  978-989-8545-82-4
Depósito Legal:  345295/12
Número de páginas: 307
Edição: Julho 2012

Sinopse:

   Inês, abandonada pelo pai e com uma mãe sem possibilidades de a criar, vai viver para Moscovo com uma tia que a recebe e a ampara. Cedo entra na alta-roda da sociedade moscovita e também cedo enfrenta os dissabores da vida. Talvez por isso mesmo, passa a identificar-se com as ideias de uma esquerda radical e a vivenciar algumas experiências políticas que a levam à reclusão e à fuga para a sua cidade natal – Paris.
Aí encontra Lenine, por quem já nutria uma simpatia enorme e com quem se identifica facilmente. Dele conhecia então o suficiente como líder de um partido em que ela militava e pelo qual estava disposta a lutar. A partir daí ambos enfrentam uma vida de sobressaltos, encontros e desencontros, no meio de uma Europa envolvida numa guerra sem sentido.
Acabam por rumar novamente a uma Rússia em transformação e onde, sob a liderança de Lenine, as convulsões políticas determinam, para ambos, o rumo dos acontecimentos.

Análise realizada por Liliana Novais/Os Livros Nossos.

    “A Amante de Lenine” é um romance histórico de autoria de Luís Ferreira. O autor dá-nos a conhecer uma faceta de Lenine que desconhecíamos, o seu lado humano. A história centra-se principalmente na vida de Inês, a amante, mas temos um vislumbre do ditador.
Inês, revolucionária, vive apaixonadamente. É uma personagem forte e dedicada às suas convicções, sejam políticas sejam românticas. Começa como uma criança inocente com sonhos e deslumbrada pelo mundo de glamour da aristocracia Russa, acompanhamos os seus passos até se tornar companheira de luta de Lenine, e a sua grande paixão.
Lenine é aqui encarado como um homem e não uma figura ideológica, tal como todos os homens tem as suas fraquezas. A paixão que sente por Inês dá ânimo à sua vida e aumenta a sua vontade de lutar.
   O romance tem um início lento, e o capítulo onde o autor apresenta o Lenine pode ser considerado de infodump, ou seja, o autor debita a biografia desta personalidade até ao momento da acção. Após passarmos esta fase, o livro ganha uma tal dinâmica que nos prende a leitura, e rapidamente chegamos ao final da história. Desejando ler um pouco mais.
   A acção decorre nos tempos conturbados pré-Revolução e pós-Revolução Russa.
Um livro que no geral se encontra interessante. Recomendado para quem gosta de romances históricos e para que aprecie ler acerca da Revolução Russa. Uma história de amor real, ainda que romanceada.

1 comentário:

  1. Olá,
    Bacana a postagem!
    Abraços,
    Zuza Zapata
    http://www.zuzazapata.com.br

    ResponderEliminar

Obrigada pela sua opinião. Os comentários serão previamente sujeitos à moderação da administração da página e dos autores do artigo a que digam respeito, antes de publicação.