sexta-feira, 31 de março de 2017

Young Adult | "Por treze razões", de Jay Asher | Editorial Presença



Crítica por Liliana Marques | Guest Blogger Os Livros Nossos

Li este livro há uns meses, meio por acaso, e sem perceber a «dureza» do seu conteúdo! «Por Treze Razões» é uma história dura, sobre a vida de uma adolescente - como tantas outras - e embora pareça uma história verídica, felizmente, é apenas ficção!! 

E se de repente alguém nos deixasse à porta uma encomenda estranha, com o nosso nome, mas sem remetente? E se ao abrir essa mesma encomenda encontrássemos sete cassetes, onde, guiados pela voz de uma pessoa amiga, testemunhássemos em primeira mão o sofrimento e os motivos que a levaram a cometer o suicídio?

​Não é um tema fácil. É triste. ​É duro. Mas é um livro que deve ser lido, não de ânimo leve, mas com a consciência de que a história da Hannah é fictícia, mas, infelizmente, existem muitas histórias semelhantes e verdadeiras.

Este é um livro que nos toca por vários motivos. Porque nos fala de temas como o bullying, a amizade e a falta dela, a violação, a insegurança na adolescência e as consequências de gestos que, à primeira vista, nos parecem tão insignificantes, mas que magoam, coroem e muitas vezes acabam mesmo por destruir.  

A história está muito bem construída e estruturada, e a veracidade e franqueza das palavras da Hannah, e do próprio Clay, chega a ser dolorosa e perturbante, e embora tenha dado por mim a questionar algumas das atitudes da personagem principal, não tenho forma de discordar delas. Trata-se apenas de uma jovem de 16 anos! Uma jovem que foi exposta a variadíssimas situações, das quais, na sua maioria era alheia. Aos 16 anos tudo é vivido e sentido de uma forma intensa, e não há preparação emocional para saber qual a melhor forma de agir - ou reagir - para não chegarmos ao efeito «bola de neve». 

​Houve alturas em que pensei que a Hannah não se teria suicidado, e que estas cassetes fossem apenas uma forma de alerta, de dizer «basta!» a todos aqueles que contribuíram para que ela não visse mais nenhuma razão válida para querer continuar viva. No final percebi que o pior aconteceu mesmo, e que para haver outro final a Hannah teria que decidir que queria mesmo viver, e ela não o quis! 

Este tema tocou-me de uma forma muito particularmente, e, talvez por isso, esta leitura tenha sido um misto de sentimentos. O suicídio pode sempre ser visto de duas perspectivas. Por um lado é um acto de coragem! Por outro, é um acto de puro egoísmo!!! 

Para terminar, quer concordemos ou não com as escolhas da autora, esta história acrescenta-nos e leva-nos a questionar muitas das nossas atitudes e, talvez, a olhar de maneira diferente para o outros, e para a forma como os tratamos.

A série baseada no livro, estreia hoje, dia 31 de Março, na Netflix, e para quem prefere séries a livros. É ver, meus senhores! É ver!!!

Ficha Técnica:


Autor: Jay Asher

Editora: Editorial Presença

Nº de Páginas: 232

Género: Romance Contemporâneo | Young  Adult


Alerta TV - Este livro inspirou uma série televisiva que estreia a 31 de Março de 2017 na Netflix, veja aqui o Trailer:





2 comentários:

  1. wow! A resenha está fantástica! Deve ser um daqueles livros para refletir por muito tempo... Adorei

    ResponderEliminar

Obrigada pela sua opinião. Os comentários serão previamente sujeitos à moderação da administração da página e dos autores do artigo a que digam respeito, antes de publicação.