segunda-feira, 3 de agosto de 2015

[Renda & Saltos Altos] "De Joelhos - A Vingança 1 "- de Malenka Ramos [Planeta]

 Ficha Técnica:


Título: De Joelhos [ #Vingança 1]


Autora: Malenka Ramos


Editora: Planeta


Edição: Julho de 2015


Páginas:  352


P.V.P.: 18,85€


Género: Literatura erótica


Classificação atribuída no GR: 4/5 estrelas



Crítica por Isabel Alexandra Almeida para o Blog Os Livros Nossos:



De Joelhos, da autora Malenka Ramos, é o primeiro volume de uma trilogia erótica rodeada de bastante polémica, tratando-se, sem dúvida, de uma história daquelas que ou se ama ou se odeia, mas a que certamente não ficamos indiferentes.

 O protagonista masculino - Dominic Romano, é um advogado e empresário muito bem sucedido, com fama de implacável nos negócios, mas cuja vida privada fica, precisamente, no domínio privado, por vontade do mesmo. É atraente, obsessivo, determinado, capaz de atitudes extremadas e transporta consigo uma história pessoal que ditou o seu percurso de vida. Dominic era, na infância e adolescência, o miúdo que todos na escola ignoravam, hostilizavam ou humilhavam. 

 Samara é uma jovem executiva bem sucedida, independente, e que é surpreendida pelo reencontro com  Dominic, que era apaixonado por ela na adolescência, mas nunca havia sido correspondido, antes sendo desprezado.

 Numa abordagem inicial que pode ser considerada intrusiva, pouco ortodoxa e mesmo violenta, Dominic reencontra a mulher que sempre o fascinou, e pela qual é ainda totalmente obcecado, e dispõe-se a vingar-se de Samara, mostrando-lhe que o amor e o ódio, assim como o prazer a dor podem ter a separá-los fronteiras muito ténues, ou podem mesmo chegar a misturar-se.

  Vivendo uma sexualidade nada convencional, Dominic propõe a Samara que esta entre com ele num mundo alternativo de relacionamentos de natureza BDSM, acompanhando-o a uma propriedade recatada, escondida no meio de uma região montanhosa, denominada simbolicamente de "Quimera", onde Dominic passa alguns períodos na companhia de Antón, o anfitrião que considera todos os membros do grupo como seus filhos; a filha deste Catinca [uma mulher livre], Roberto, um homem de porte e maneiras aristocráticas que mantém uma relação com duas mulheres que aceitam assumir o papel de suas escravas sexuais - Yelina e Xiamara, e o Irónico , provocador e nada convencional Carlo, que mantém como escrava Meredit. Personagem também interessante é Luís, o melhor amigo de Dominic.

Além de conter diversas descrições bastante explícitas de natureza sexual, este romance suscita polémica pelo facto de, muitas dessas situações estarem envolvidas em contexto de forte violência aos níveis físico e psicológico, levando o leitor a questionar se tal tipo de situação é legítima ou mesmo aceitável, e desafiando os seus próprios limites de tolerância em relação à leitura desta narrativa bastante intensa, e que desce às profundezas do que de mais primitivo poderá esconder-se na natureza humana.

  Quem me segue, sabe que sou leitora bastante assídua do género erótico, mas este livro é realmente diferente de tudo o que já havia lido antes, e fez-me pensar, digerir e processar a informação inerente à história, indo para além das descrições mais gráficas, e pensando nas implicações ao nível psicológico - mais do que a violência [que surge mais óbvia aos olhos do leitor] penso que a trama de relacionamentos entre as personagens tem a ver com poder, com controlo e com  auto-determinação, e isto é válido tanto para quem assume o papel de dominador [por exemplo, Dominic], como para quem seja o lado mais frágil da relação [por exemplo Samara]. Dominic quer dominar a relação com Samara, quer dominar as suas emoções e a da companheira num desejo obsessivo [esse sim algo patológico] de se vingar de ter sido vítima de bullying no passado; mas Samara controla a todo o momento a sua permanência no sistema  relacional alternativo que lhe é apresentado, e luta consigo mesma, mas acaba por ceder e ficar, mesmo que vivencie auto-recriminações.

Não é uma leitura fácil não pode nem deve ser feita com ligeireza, mas é um livro muitíssimo bem escrito, com forte carga psicológica e que faz pensar, tendo ainda a vantagem de um enredo muito bem construído e de uns twists surpreendentes e que lançam toda uma nova luz sobre a história inicial.

 Surpreendente, ousado e capaz de nos deixar totalmente perplexos! Impróprio para cardíacos! Deste lado espera-se ansiosamente pelos restantes títulos da trilogia.



Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pela sua opinião. Os comentários serão previamente sujeitos à moderação da administração da página e dos autores do artigo a que digam respeito, antes de publicação.